NOTÍCIAS

  • 04/10/2018

    MOSTRA CULTURAL 2018

    Fraternidade e Superação da Violência - Mostra Cultural 2018
     
    O Centro Educacional Agostiniano, CEA, realizou de 25 a 28 de setembro, uma Mostra Cultural que abordou o tema da Campanha da Fraternidade de 2018 “Fraternidade e Superação da Violência”/ “Vós sois todos irmãos”. A proposta foi conscientizar alunos, pais e comunidade sobre a importância de não aceitarmos e agirmos contra todos os tipos de violência.
     
    Segundo Scheila Lima, coordenadora pedagógica do infantil ao 5º ano do fundamental I, a escola tem o hábito de, todo ano, trabalhar o tema da Campanha da Fraternidade desenvolvendo projetos que estimulem a pesquisa, curiosidade e conscientização das crianças. “Esse ano tratamos sobre a violência como um todo e demos foco a algumas, em particular, como: violência contra a mulher, povos indígenas; moradores de rua, crianças/adolescentes, idosos, planeta (natureza), diversidade religiosa e no trânsito. As crianças e familiares foram muito receptivos a essa abordagem focada nos valores. Na verdade, as famílias já esperam que a escola trabalhe essas questões, que contribuem na formação humana do cidadão. O nosso futuro está nas mãos delas. São valores que as crianças vão levar para a vida toda", destacou. 
    Vale ressaltar que para apresentar o tema "violência no trânsito" o CEA contou com a parceria do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar".
    A avó de aluno, Laura Magnago, disse ter ficado muito emocionada e feliz ao ver o desenvolvimento do neto e a abordagem do tema violência. “Foi muito emocionante ver o meu neto apresentando um trabalho e o carinho das crianças com os idosos”, destacou.
     
    Laís Maroto, mãe de aluno, também aprovou a iniciativa da Escola. “Achei muito legal! Minhas filhas se empenharam muito e ficaram apaixonadas em desenvolver o tema: Violência Contra o Idoso”, declarou.
     
    A aluna do 2º ano do ensino fundamental I, Ana Luisa Seixas Cortez, que se caracterizou como moradora de rua durante uma apresentação na Mostra, demonstrou ter captado a mensagem da escola. “Aprendi que os moradores de rua não têm casa, não têm roupa e passam fome. Às vezes até comem plantas, e isso não é justo! Aprendi, também, que devemos dar valor a tudo que temos e não reclamar quando a comida não é a nossa preferida, pois tem gente que não tem nada para comer. Não é mesmo?”, indagou ela.
     
    A diretora do CEA, Ir. Rita Cola, observou que precisamos ficar atentos aos vários tipos de violências e nos empenharmos, cada vez mais para que tenhamos um bom relacionamento entre os seres humanos e com o meio ambiente. “Precisamos ter uma relação respeitosa entre as pessoas e com todo o universo: rios, mares, matas... etc. e com todo ser criado e buscando viver numa relação de respeitosa que gere paz”.
     
    Segundo ela, as crianças e familiares foram muito receptivos e demonstraram sensibilidade ao tema. “Ficamos muito felizes com a participação dos pais! Tudo aquilo que se aprende na escola é repassado para os pais e vice-versa. Essa interação e reflexão geram uma transformação muito significativa entre as nossas relações. Todos nós devemos nos empenhar com muita dedicação para bem cuidar da Casa Comum”, finalizou.da Violência...
    Tema da Amostra Cultural de 2018.
     
    O Centro Educacional Agostiniano, CEA, realizou de 25 a 28 de setembro, uma Mostra Cultural que abordou o tema da Campanha da Fraternidade de 2018 “Fraternidade e Superação da Violência”/ “Vós sois todos irmãos”. A proposta foi conscientizar alunos, pais e comunidade sobre a importância de não aceitarmos e agirmos contra todos os tipos de violência.
     
    Segundo Scheila Lima, coordenadora pedagógica do infantil ao 5º ano do fundamental I, a escola tem o hábito de, todo ano, trabalhar o tema da Campanha da Fraternidade desenvolvendo projetos que estimulem a pesquisa, curiosidade e conscientização das crianças. “Esse ano tratamos sobre a violência como um todo e demos foco a algumas, em particular, como: violência contra a mulher, povos indígenas; moradores de rua, crianças/adolescentes, idosos, planeta (natureza), diversidade religiosa e no trânsito. As crianças e familiares foram muito receptivos a essa abordagem focada nos valores. Na verdade, as famílias já esperam que a escola trabalhe essas questões, que contribuem na formação humana do cidadão. O nosso futuro está nas mãos delas. São valores que as crianças vão levar para a vida toda", destacou. 
    Vale ressaltar que para apresentar o tema "violência no trânsito" o CEA contou com a parceria do Batalhão de Trânsito da Polícia Militar".
    A avó de aluno, Laura Magnago, disse ter ficado muito emocionada e feliz ao ver o desenvolvimento do neto e a abordagem do tema violência. “Foi muito emocionante ver o meu neto apresentando um trabalho e o carinho das crianças com os idosos”, destacou.
     
    Laís Maroto, mãe de aluno, também aprovou a iniciativa da Escola. “Achei muito legal! Minhas filhas se empenharam muito e ficaram apaixonadas em desenvolver o tema: Violência Contra o Idoso”, declarou.
     
    A aluna do 2º ano do ensino fundamental I, Ana Luisa Seixas Cortez, que se caracterizou como moradora de rua durante uma apresentação na Mostra, demonstrou ter captado a mensagem da escola. “Aprendi que os moradores de rua não têm casa, não têm roupa e passam fome. Às vezes até comem plantas, e isso não é justo! Aprendi, também, que devemos dar valor a tudo que temos e não reclamar quando a comida não é a nossa preferida, pois tem gente que não tem nada para comer. Não é mesmo?”, indagou ela.
     
    A diretora do CEA, Ir. Rita Cola, observou que precisamos ficar atentos aos vários tipos de violências e nos empenharmos, cada vez mais para que tenhamos um bom relacionamento entre os seres humanos e com o meio ambiente. “Precisamos ter uma relação respeitosa entre as pessoas e com todo o universo: rios, mares, matas... etc. e com todo ser criado e buscando viver numa relação de respeitosa que gere paz”.
     
    Segundo ela, as crianças e familiares foram muito receptivos e demonstraram sensibilidade ao tema. “Ficamos muito felizes com a participação dos pais! Tudo aquilo que se aprende na escola é repassado para os pais e vice-versa. Essa interação e reflexão geram uma transformação muito significativa entre as nossas relações. Todos nós devemos nos empenhar com muita dedicação para bem cuidar da Casa Comum”, finalizou.
FILTRAR POR DATA