top of page
Buscar

Fome é tema da Campanha da Fraternidade de 2023

Com o tema “Fraternidade é repartir” e o lema “Repartir o

pão”, a Campanha da

Fraternidade (CF) de 2023 é um convite a promover um diálogo sobre a

problemática da fome, à luz da fé cristã, além de propor caminhos

em direção a um humanismo total e solidário. Essa, sem dúvida, é

uma das maneiras de viver a espiritualidade do tempo quaresmal. A

abertura da CF23 acontece no próximo domingo, 26/02, às 14h, no

Ginásio Dom Bosco, Forte São João, em Vitória. Os organizadores

sugerem que os participantes levem seu pão embalado para ser abençoado

e partilhado e panela e colher de pau para o "Panelaço contra a Fome".

Essa é terceira vez o tema da fome é abordado na Campanha da

Fraternidade pela Igreja no Brasil. A primeira foi em 1975. A proposta

da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB) com a escolha desse

tema é unir forças na construção de uma sociedade que melhor

corresponda à mensagem do Evangelho.

Neste sentido, os bispos do Brasil estão convidando os membros da

Igreja Católica e a sociedade brasileira, em geral, a refletir, à luz

da fé, esse problema: FOME, convictos de que é uma realidade que

assola uma multidão.

Acompanhe a entrevista com a diretora do CEA, Irmã Rita Cola, e saiba

mais sobre esse tema


01 – Quando surgiu a Campanha da Fraternidade? Qual o principal

objetivo da campanha?


Surgiu, no Rio Grande do Norte, pela Caritas Arquidiocesana, coordenada

por Dom Eugênio Salles, da Quaresma de 1962, na cidade de Natal com o

objetivo de gerar solidariedade e partilha nas comunidades.


02 – Quando surgiu a Campanha da Fraternidade? Qual o principal

objetivo da campanha?


A CF/2023 quer chegar ao coração e a mente de todas as pessoas da

nossa sociedade, em especial da Igreja, para sensibilizar-nos diante do

flagelo da fome que atinge milhões de irmãos e irmãs por meios de

compromissos que transformem esta realidade a partir do Evangelho de

Jesus Cristo. É importante compreender a realidade da fome, descobrir

as causas estruturais que geram a fome no Brasil e no Mundo, indicar as

contradições de uma economia que mata pela fome, investindo esforços

concretos que levem a superação da fome e da miséria, mobilizando a

sociedade, para que haja uma sólida política de alimentação no

Brasil e no mundo, garantindo que todos tenham alimentos em suas mesas

e, por tanto, vida digna.


03 – Como os cristãos podem colocar em prática o lema deste ano?


Refletindo o Tema, “Fraternidade e Fome” e o Lema: “ Dái-lhes

vós mesmos de comer (mat. 14, 16) perceber que como comunidade podemos

nos unir e buscar soluções para os mais de 33 milhões de famintos

somente em nosso País e em nosso Estado mais um milhão e quinhentas

mil pessoas sofrem com insegurança alimentar. Com o nosso inesquecível

Sociólogo Herbert de Souza, o Betinho,

lançando o Natal sem Fome em 1993, desde então, todos somos provocados

em dar a nossa parcela de colaboração para que não haja ninguém com

fome entre nós.


04 – Qual o impacto que a Campanha da Fraternidade causa na sociedade?


Numa sociedade que se diz cristã, que se esqueceu do pedido de Jesus

“Dai-lhes vós mesmos de comer” (Mt. 14,16) é urgente um processo

de humanização e conversão em favor da solidariedade e da partilha.

É o meu irmão que está com fome! É o meu irmão que está morrendo

de fome! A fome não espera! A fome dói, a fome mata! Somos seres

humanos. Temos que nos educar e reeducar-nos para sermos sensíveis

diante de tanta dor.


05 – 1. A campanha tem como gesto concreto a Coleta Nacional da

Solidariedade. Como é realizada esta coleta e para onde são destinadas

as arrecadações?


Sim! Terá gestos concretos contra a miséria e a Fome. Enquanto houver

irmão e irmã com fome entre nós. As áreas pastorais, as escolas

católicas, como a nossa, e as pessoas de boa vontade estarão

organizando momentos fortes de doação de alimentos não perecíveis

para saciar a dor da fome daqueles que pudermos alcançar abraçar com o

nosso gesto de doação solidária.


06 – 1. Como o CEA vai desenvolver a Campanha no âmbito

pedagógico?


O Centro Educacional Agostiniano já fez formação com os seus

professores e fará o mesmo com os seus alunos e demais funcionários.

Tem realizado esta coleta mais de uma vez. A mais significativa foi na

Festa da Escola – “Santo Agostinho”. Agora, neste ano vamos

participar dos mutirões das Escolas Católicas contra a fome, durante

períodos necessários. Os detalhes, comunicaremos em tempo oportuno.


07 – Até quando vai a campanha?


A CF/2023 contra a fome e a miséria deve se estender até quando ainda

houver pessoas famintas entre nós.

Precisamos alcançar, entre nós, o “Fome Zero” proposto por

Betinho.


12 visualizações0 comentário
bottom of page